Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

12
Jun19

Eu comprava...

Charneca em flor

Aqui há dias, enquanto atendia uma das minhas utentes, falávamos de coisas que nada tinham a ver com medicamentos. Veio à baila uma biografia de uma pessoa conhecida da terra bem como o falecimento de Agustina Bessa-Luís. Comentei que gosto muito de biografias e que estava a ler a biografia de Sophia de Mello Breyner Andersen. A dada altura digo eu: "Porque é que a senhora não escreve uma auto-biografia?! A senhora deve ter tido uma vida bem interessante (e teve, de facto, porque, através da profissão do seu falecido marido, viveu em vários países e deve ter conhecido pessoas  muito interessantes.)."

Ao que ela responde: "ah, não, nem pensar. Não se esqueça que eu fui casada com um escritor durante 35 anos. Escritora é que nunca seria."

"Que pena. Eu comprava a sua biografia" - disse eu.

"Eu escrevo mas só para mim. De resto já há muita gente a escrever livros. Não é preciso mais uma"

Olhando para as prateleiras dos bestsellers, tenho que concordar com esta sábia senhora. Há demasiadas pessoas a publicar livros. 

11
Jun19

A verdadeira influência de Madonna

Charneca em flor

Por aquilo que me apercebi, o novo disco da Madonna ainda não está disponível por completo nas plataformas de streaming. Também não sei se já está à venda. Confesso que tenho alguma curiosidade já que a artista diz que as experiências que viveu em Lisboa e em Portugal a inspiraram neste novo trabalho. Já ouvi as 3 músicas que foram divulgadas e, sinceramente, não dei por nenhuma inspiração lusa ou mesmo lusófona. Até aceito que o defeito seja meu tendo em conta que não sou grande entendida. No entanto, ontem, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, fez-se luz na minha cabeça 

CollageMaker_20190610_220447889.jpg

Madonna faz uma homenagem ao nosso maior poeta. Entra pelos olhos dentro 

05
Jun19

Em parte incerta

Charneca em flor

78f2d382f32f70cd62108cd3de1d0c7a-783x450.jpg

 

No fim-de-semana passado, o Expresso noticiou que há 170 obras de arte, que pertenciam ao Estado, desaparecidas. A Direcção-Geral do Património Cultural tem conduzido um processo de inventário e classifica estas obras como estando em "localização desconhecida". Ou seja, em bom português, quer dizer que estão perdidas. A Sra Ministra da Cultura, Graça Fonseca, diz que "as obras não estão perdidas, estão por localizar. Esta Ministra parece-me um claro erro de casting de António Costa. Já tem tido atitudes muito arrogantes como esta, aliás. Sra. Ministra  não é por usar um eufemismo que a realidade é diferente. Se o seu Ministério não sabe onde estão as obras é porque estão perdidas. Se nós não conseguimos localizar um objecto é porque o perdemos ou então não sabemos onde estão. Que é o que acontece com estas obras. Ao longo dos anos, foram sendo emprestadas sem qualquer tipo de controlo. Será que não haverá, por aí, casas ricamente decoradas graças a estas distracções do sector da cultura?

 

04
Jun19

Agustina Bessa-Luís, 1922-2019

Charneca em flor

Ontem faleceu Agustina Bessa-Luís, um dos maiores vultos da literatura portuguesa. Curiosamente, nunca li nada dela. Sempre tive curiosidade pela figura de Agustina Bessa-Luís. A imagem que transparecia das imagens que nos chegavam pela comunicação social era a de uma pessoa sorridente e com um ar bem disposto. Um dia, ainda vou ler um livro dela.

DR_Agustina_Bessa_Luis_02.jpg

"Escrever é isto: comover para desconvocar a angústia e aligeirar o medo, que é sempre experimentado nos povos como uma infusão de laboratório, cada vez mais sofisticada. Eu penso que o escritor com maior sucesso é aquele que protege os homens do medo: por audácia, delírio, fantasia, piedade ou desfiguração."

21
Mai19

Chico Buarque, Prémio Camões 2019

Charneca em flor

Hoje foi anunciado que o Prémio Camões deste ano é atribuído ao músico e romancista Chico Buarque.

transferir.jpeg

O Prémio Camões foi criado pelos Governos de Portugal e do Brasil em 1988 e pretende distinguir os autores que tenham contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa. Os autores são galardoados pelo conjunto da sua obra. O Prémio é atribuído alternadamente nos 2 países que o criaram. Os autores distinguidos podem brasileiros, portugueses ou de qualquer outro país de língua e expressão portuguesa.

Como é óbvio, às vezes o escolhido não é consensual gerando até controvérsia. Imagino que este ano não haja controvérsia uma vez que Chico Buarque é muito apreciado nos 2 lados do Atlântico. 

Na minha modesta opinião, acho que o Prémio Camões foi bem atribuído já que Chico Buarque tem sido um brilhante agente de divulgação da nossa língua quer através dos brilhantes poemas que canta quer através dos seus romances ou das suas peças de teatro.

 

10
Mai19

Salvação, Ana Cristina Silva

Charneca em flor

250x (3).jpeg

Já diz o povo "Santos da casa não fazem milagres" ou "Ninguém é profeta na sua própria terra". Esta escritora é minha conhecida. Já nos temos cruzado na cidade onde trabalho. Ana Cristina Silva já publicou várias obras tendo, inclusivé, ganho 2 prémios literários. Eu nunca tinha lido nada dela até agora. O tema central de "Salvação" é o luto, a maneira como um escritor, que perde a mulher, lida com o processo de luto. A mulher, no leito de morte, pede-lhe escreva um romance para lidar com a partida dela. Então o homem transfere a sua dor para um personagem que passa pela mesma perda. Assim há uma história dentro da história, muito bem encadeadas. A autora aborda, também, os extremismos religiosos fazendo um paraleslismo entre a actualidade e o tempo da Inquisição.

O processo do luto é diferente para todas as pessoas. E há vários tipos de luto seja  pela perda de alguém fisicamente, seja pelo fim de uma relação amorosa ou de amizade, seja porque nos perdemos a nós mesmos. O luto é necessário para conseguirmos seguir em frente, sem esquecer o passado mas vivendo o presente e não o que já não volta. A meu ver, é isso que Ana Cristina Silva consegue demonstrar com o seu romance. Afinal, seja qual for a dor há sempre "Salvação".

"No preciso momento em que formulo estas perguntas, elas deixam de me importar, ainda que suspeite que poderão voltar a interessar-me. O sofrimento do luto é assim: um longo corredor que não é possível passar a correr. Esta foi a única coisa que aprendi nos últimos dois meses."

05
Mai19

Dia da Língua Portuguesa

Charneca em flor

Acabei de descobrir que a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa +/- ) dedica o dia de hoje, 5 de Maio, à Língua Portuguesa. Como eu sou apaixonada pela nossa língua, embora também goste muito de outras línguas, achei que fazia todo o sentido destacar este dia neste blogue. Para o efeito vou aconselhar a leitura desta crónica, "A Língua Portuguesa de A a Z", de Marco Neves. Já sigo o Marco Neves no seu espaço Certas Palavras onde escreve brilhantes e divertidos textos sobre as particularidades da nossa Língua bem como de outras Línguas com as quais nos cruzamos.

15
Abr19

Fernando Namora, 100 anos

Charneca em flor

Esta 2a feira, dia 15 de Abril, comemorou-se o centenário do nascimento de Fernando Namora, um médico e escritor português. Embora já não seja muito conhecido pelas gerações mais novas, teve muito êxito sendo o autor português mais traduzido do mundo, antes de José Saramago.

O seu género literário estendeu-se a várias áreas como o romance, a poesia, as crónicas e as narrativas. Uma das suas obras mais conhecida é "Retalhos da vida de um médico" onde o autor relata o que lhe ia acontecendo enquanto médico da província. Esses "retalhos" deram origem a uma série televisiva nos anos 80.

Durante a homenagem que lhe foi prestada na Casa-Museu Fernando Namora, o Presidente da República anunciou que o escritor será condecorado a título póstumo com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

 

02
Abr19

Dia Internacional do Livro Infantil

Charneca em flor

Anita-na-Montanha.jpg

Hoje assinala-se o Dia Internacional do Livro Infantil porque Hans Christian Andersen, esse maravilhoso escritor das mais belas histórias para a infância, nasceu a 2 de Abril.

Sempre gostei de livros mesmo quando ainda não sabia ler. Os livros infantis abriram-me portas para o mundo encantado da leitura. Sou eternamente grata aos autores e ilustradores que me aguçaram o gosto pela leitura que perdura até hoje.

Boas leituras.

250x (1).jpeg

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Livro do momento

Ebook do momento

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D