Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Almoço de Domingo, José Luís Peixoto

Charneca em flor, 02.07.21

20210701_154146.jpg

Já quando li o "Autobiografia" de José Luís Peixoto, achei que tinha lido o melhor livro do autor. Só que José Luís Peixoto superou-se e conseguiu escrever um livro ainda melhor. "Almoço de Domingo" é um romance biográfico sobre a vida do alentejano de Campo Maior e fundador da Delta Cafés, Comendador Rui Nabeiro. Foi o próprio retratado que despoletou o processo que conduziu a esta obra convidando o escritor a escrever a sua biografia. No entanto, José Luís Peixoto, com o acordo do Sr. Rui, partiu da vida contada pelo Comendador e construíu um maravilhoso romance. A história de vida de Rui Nabeiro já é fascinante mas, através das palavras do autor, tornou-se num excelente romance. Nestas páginas sentimos o aroma do café, o cheiro e o calor das terras alentejanas e sente-se o carinho que o Sr. Rui Nabeiro inspira no povo de Campo Maior. A acção decorre durante 3 dias, de 26 a 28 de Março de 2021, dia em que Rui Nabeiro completou 90 anos. JLP imaginou o quotidiano do retratado a partir das conversas que teve com ele bem como os próprios pensamentos em que a personagem Rui Nabeiro vai recordando a sua vida ao longo dos seus 90 anos. Simplesmente brilhante e muito bem escrito como é hábito.

"O passado tem de provar constantemente que existiu. Aquilo que foi esquecido e o que não existiu ocupam o mesmo lugar. Há muita realidade a passear-se por aí, frágil, transportada apenas por uma única pessoa. Se esse indivíduo desaparecer, toda essa realidade desaparece sem apelo, não existe meio de recuperá-la, é como se não tivesse existido."

"Que rosto tem uma pessoa? No fim da vida, entre todos os rostos que teve, qual é o rosto que realmente a representa? Será que o último rosto, por ter sobrevivido a todos os outros, é o mais válido? Não lhe custava encontrar argumentos contra essa ideia."