Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Arraial Triste, Ana Moura

Charneca em flor, 31.10.22

Felizmente, ainda, é possível cada um ser o que quiser. Ana Moura é um excelente exemplo disso. Depois de uma carreira de quase 20 anos como a fadista mais bem sucedida da sua geração, Ana Moura arriscou reinventar-se. Aliás, a artista semore foi, ao longo dos anos, muito mais do que uma fadista tradicional. Quem não se recorda da sua colaboração com os Rolling Stones?!

Nos últimos anos temos assistido uma mudança mais ou menos gradual que, presumo, tem horrorizado os puristas do fado. Não sei o que terá começado primeiro, a colaboração profissional ou a relação amorosa, mas a verdade é que esta mudança terá algo a ver com Pedro Mafama, seu companheiro e pai da sua filha. No entanto, isso é indiferente. Aquilo que Ana Moura transmite agora já existia dentro dela, só que foi despertado pelos artistas com quem se têm cruzado ultimamente.

Muitos dirão que aquilo que Ana Moura canta agora, já não é fado. Pode ser ou não, mas ninguém pode negar que Ana Moura canta a essência portuguesa.

Aqui fica o novo single,

Ana Moura, continua a ser sempre aquilo que quiseres ser.

Boa semana.

 

1 comentário

Comentar post