Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Desafio dos Lápis de Cor #verde-claro

Verde, claro como água

Charneca em flor, 24.03.21

Sofia nem conseguia acreditar quando se apercebia como o seu estado de espírito, e a sua vida, tinham mudado nas últimas semanas. Mais precisamente, desde que tinha conversado com a sua tia Rosário na sua praia preferida.

A irmã mais nova da mãe de Sofia era uma pessoa muito especial. Rosário era alegre, optimista e cheia de estilo o que a tornava numa espécie de ídolo para a sua sobrinha. Possuidora de uma mente brilhante, era professora universitária e investigadora na área da biologia. Completamente dedicada ao seu trabalho, nunca tinha casado nem tivera filhos e, talvez por isso, era muito ligada à sobrinha. Aliás, a maneira de ser de Sofia recordava-a da sua própria juventude, sempre embrenhada nos livros. Quando se apercebeu da situação que se vivia na casa da irmã, achou que tinha que fazer qualquer coisa para que Sofia voltasse a sorrir.

Depois de conversarem durante horas – ficaram na praia até ao início da noite – Rosário começou a delinear o seu plano para que a querida sobrinha voltasse a sonhar e a ter esperança num futuro risonho. Primeiro teria que servir de moderadora da conversa entre Sofia e os pais. Rosário percebia que, embora de uma forma algo distorcida, a irmã e o cunhado tinham tido as suas razões para terem sido tão rígidos quando perceberam que a sua “bebé” crescera e se transformara numa jovem apaixonada. A mãe da jovem tinha, apenas, 18 anos quando Sofia nascera. Embora nunca se tenham arrependido de ser pais – amavam a filha, profundamente – não queriam que a filha passasse pelo mesmo e tivesse que desistir dos seus sonhos. Rosário conseguiu que cada um deles abrisse o coração e falasse abertamente das suas preocupações e mágoas. Uma conversa que durou pela noite ajudando a colocar os tijolos que permitiriam que a relação da jovem e dos pais se reconstruísse com amor e sinceridade.

Devido ao seu projecto científico, Rosário ia passar grande parte do Verão em trabalho de campo. Apesar de também ser uma leitora compulsiva, Rosário percebeu que Sofia precisava de sair do seu quarto, da sua casa, da sua cidade e alargar os seus horizontes. E foi assim que a ideia de Sofia acompanhar a sua tia no seu trabalho de campo começou a ganhar forma. Sofia nem precisou de pensar muito para aceitar. A última coisa que queria fazer era passar ali os meses das férias grandes. A sua amiga Helena evitara contar-lhe mas acabara por ter que lhe dizer que Tomás começara a namorar com Ana. Mesmo saindo pouco, Sofia não queria correr o risco de se cruzar com aquele casalinho. Não conseguiria disfarçar que ainda chorava por ele.

459_262_patrimonio-1.jpg

Imagem daqui

E foi assim que, ao lado da sua tia, fizera a sua primeira viagem de avião para a acompanhar aos Açores. Assim que vira as ilhas a partir do avião, tão verdes e repletas de uma natureza quase selvagem, ficara deslumbrada com tanta beleza.
Naquele momento, Sofia integrava um grupo de colegas da tia, cientistas como ela, que aproveitava uma folga no trabalho de investigação para conhecer a ilha. O guia levara-os a um miradouro de onde se tinha uma visão perfeita para Lagoa das Sete Cidades. Uma paisagem perfeita, de um lado azul, do outro verde- água, duas lagoas formadas pelas lágrimas da princesa e do pastor cujo amor também tinha sido proibido.

Envolta na claridade daquele verde luxuriante, e depois de ouvir a lenda da Lagoa das Sete Cidades, Sofia resolveu que já chegava de tristezas. Ela, ao contrário da princesa da lenda, não iria continuar a chorar pelo seu amor perdido. Já lá diz o povo, o verde é esperança. E essa cor , dominante na paisagem açoriana, influenciou Sofia em ter confiança nos tempos vindouros. Tinha o futuro todo pela frente. A sua vida seria aquilo que ela fosse capaz de construir. No seu coração nasceu uma certeza, “aconteça o que acontecer, é possível ser feliz".

 

Participam neste Desafio da Caixa de Lápis de Cor da Fátima Bento, as brilhantes ConchaA 3a FaceMaria AraújoPeixe FritoImsilva, Luisa de SousaMariaAna DCéliaGorduchitaMiss LollipopAna MestreAna de DeusCristina Aveirobii yue, os brilhantes  José da Xá e João-Afonso Machado.

Agora também com a participação especial da nobreza na pessoa a talentosa e divertida Marquesa de Marvila.

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.