Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Passa-palavra #lápis

Charneca em flor, 09.10.20

Eu, o lápis de cor*

 

Portugal, Verão de 1980


Eu sou um lápis de cor e vivo numa caixa metálica com lápis de muitas outras cores. Ao todo somos trinta e seis. Todos nós viemos de um país distante, do outro lado do mar, na bagagem de um menino rechonchudo. Ele viveu durante um ano noutro país e, regressando, trouxe na sua mala, muitos brinquedos diferentes daqueles que existem cá em Portugal. Os seus amigos ficam deliciados com todos os brinquedos e livros que o menino tem agora. Mas nenhum ficou tão fascinado com os lápis de cor como a menina de totós que aparece por cá quase todos os dias. A pequenita nem tem grande jeito para o desenho mas agora quer utilizar a caixa de lápis de cor todas as vezes que aqui está. O primo, o meu legítimo proprietário, bem tenta propor outros divertimentos mas a pirralha nem lhe liga. Só fica feliz se a deixarem usar os lápis de cor.
A menina nunca tinha visto tantos tons diferentes disponíveis para colorir os seus desenhos toscos. Por aquilo que a ouvi dizer, a sua mãe, até ali, só lhe tinha comprado caixas bem mais pequenas. Os pais da menina diziam, muitas vezes, que não havia dinheiro para tudo. Só se podia comprar o que era mesmo necessário. Ela nem sempre compreendia porque é que não podia ter tudo o que lhe apetecia.
Os desenhos que os meninos fazem são todos muito parecidos. O meu dono vai ter uma casa nova e é esse o tema preferido. Nas folhas brancas aparece a casa com a sua varanda e as suas janelas. E árvores e pessoas a passear. A menina dos totós desenha sempre pessoas mas eu desconfio que isso tem um segundo sentido. Quem disse que uma menina de seis anos não pode ter intenções obscuras? Eu tenho a certeza que a minha cor é a preferida da menina. Ela escolhe-me sempre a mim. Todos os seus desenhos têm uma pincelada minha. Eu sei que a pequena pirralha gosta de todas as cores mas tem um carinho especial por mim. A minha cor é de um tom bege rosado mas a menina diz que eu sou um lápis cor de pele. Pelo menos, um lápis da cor da sua pele clarinha. Mas na caixa há lápis para pintar a cor de muitas outras peles porque todas as cores são importantes.

 

E o desafio #Passa-palavra da Mula e da Mel continua .

 

*baseado em factos verídicos.

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.