Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Sem amor, Alice Oseman

Charneca em flor, 07.10.22

IMG_20221006_232405.jpg

Alice Oseman é uma jovem escritora e ilustradora inglesa que já tem vários livros publicados mas tornou-se mais conhecida pela saga bestseller Heartstopper a qual já foi, também, adaptada a uma série para a Netflix. Esta autora dedica-se, principalmente, à temática LGBTQ+ direccionada para os leitores mais jovens. "Sem amor" foi a escolha de Setembro da Joana da Silva para o Clube do Livra-te. Apesar deste livro ser marcadamente jovem, achei que valia a pena lê-lo mesmo sendo uma quarentona. 

A história gira à volta de Georgia, uma jovem que adora romances cor-de-rosa, sonha com um grande amor e com um final feliz mas nunca se apaixonou. No início do livro, acompanhamos Georgia, e os seus melhores amigos, durante a festa que se seguiu ao baile de finalistas. Os jovens preparam-se para irem, juntos, para a Universidade e é nesse ambiente que Georgia procura perceber a sua sexualidade e a sua verdadeira natureza.

"Sem amor" tem alguns pormenores que me encantaram mas também tem alguns pontos menos positivos. A temática é muito importante mas também gostei muito da interacção entre Georgia e os amigos, Jason e Pip, bem como das amizades que Georgia vai construído na Universidade. Aliás "Sem amor" é uma bonita história de amizade. No que diz respeito àquilo que menos apreciei, quero referir o facto de autora repetir várias vezes a mesma ideia para descrever Georgia e também acho que não havia necessidade de a autora criar várias personagens com a vivência da sexualidade idêntica à de Georgia. Acho que tal não era necessário para percebermos aquilo que Alice Oseman nos pretende transmitir. Esta repetição torna o livro muito maior do que o necessário.

A meu ver, este livro é uma excelente leitura para jovens, pais e educadores. Aquilo que o livro nos pode trazer vai muito além da questão da vivência da sexualidade. Por exemplo, os jovens são, muitas vezes, levados a comportamentos que não desejam para se sentirem integrados no grupo ou tomam decisões erradas por algo que confundem com amor. Aquilo que a autora coloca na vida destas personagens pode ser extrapolado para todas as situações que acontecem na vida dos adolescentes.

De qualquer forma, Alice Oseman tem muito valor pela coragem e abertura em construir boa ficção sobre estas temáticas. Talvez precise de melhor orientação editorial na escrita de romance.

"Foi um pouco foleiro, talvez. Mas também for um dos discursos mais adoráveis que ouvi em toda a minha vida.

Todos ergueram as suas bebidas e, em seguida, aclamaram o Sunil
quando ele desceu e a Jess o soterrou num abraço.

Era aquilo. Era daquilo que se tratava.

O amor naquele abraço. O olhar cúmplice entre eles.

Eles tinham a sua história de amor.

Era isso que eu queria. Era o que eu tinha tido, em tempos, talvez.

Costumava sonhar com um romance enfeitiçante, interminável, para sempre. Com uma bela história de conhecer uma pessoa capaz de mudar todo o nosso mundo.

Mas agora, percebi, a amizade também podia ser isso."