Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Lotaria Literária #146

Charneca em flor, 25.05.20

"As imagens intensas sucediam-se a um ritmo acelerado. Sentia-se como se estivesse a voar, sem esforço, com lentidão de um sonho."

As longas noites de Caxias

Ana Cristina Silva

Planeta

ISBN 978-989-777-219-1

 

Uma foi torturada. A outra tinha prazer em torturar. Duas mulheres que ficaram na história da PIDE.

A frase anterior, que está na capa do livro, resume este livro. Comprei-o há algum tempo, a seguir a ter lido outro livro desta autora. Fui "induzida" a adquiri-lo por um excelente vendedor de uma livraria local da cidade onde trabalho. Ainda não o li. Está em lista de espera.

Salvação, Ana Cristina Silva

Charneca em flor, 10.05.19

250x (3).jpeg

Já diz o povo "Santos da casa não fazem milagres" ou "Ninguém é profeta na sua própria terra". Esta escritora é minha conhecida. Já nos temos cruzado na cidade onde trabalho. Ana Cristina Silva já publicou várias obras tendo, inclusivé, ganho 2 prémios literários. Eu nunca tinha lido nada dela até agora. O tema central de "Salvação" é o luto, a maneira como um escritor, que perde a mulher, lida com o processo de luto. A mulher, no leito de morte, pede-lhe escreva um romance para lidar com a partida dela. Então o homem transfere a sua dor para um personagem que passa pela mesma perda. Assim há uma história dentro da história, muito bem encadeadas. A autora aborda, também, os extremismos religiosos fazendo um paraleslismo entre a actualidade e o tempo da Inquisição.

O processo do luto é diferente para todas as pessoas. E há vários tipos de luto seja  pela perda de alguém fisicamente, seja pelo fim de uma relação amorosa ou de amizade, seja porque nos perdemos a nós mesmos. O luto é necessário para conseguirmos seguir em frente, sem esquecer o passado mas vivendo o presente e não o que já não volta. A meu ver, é isso que Ana Cristina Silva consegue demonstrar com o seu romance. Afinal, seja qual for a dor há sempre "Salvação".

"No preciso momento em que formulo estas perguntas, elas deixam de me importar, ainda que suspeite que poderão voltar a interessar-me. O sofrimento do luto é assim: um longo corredor que não é possível passar a correr. Esta foi a única coisa que aprendi nos últimos dois meses."