Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Bicentenário do Museu del Prado

Charneca em flor, 19.11.18

Esta semana vamos adiar a citação para outro dia porque vos quero falar de uma efeméride.

360px-Las_Meninas,_by_Diego_Velázquez,_from_Prado

Las meniñas, Velasquez

Uma das obras do Museu do Prado

 

Um dos mais belos museus do mundo faz 200 anos no próximo ano mas começou já a comemorar a data. Trata-se do Museu do Prado em Madrid. Curiosamente, tal como a música que partilhei no outro blogue, este museu também nasceu de um encontro ibérico. A ideia inicial de fazer, em Madrid, um grande museu partiu do rei D. Carlos III tendo sido este rei que iniciou as obras para fazer um grande edifício destinado às Ciências e que albergasse um Gabinete de História Natural. No entanto, a obra projectada era tão ambiciosa que levou muitos anos a concluir passando por vários reinados tendo servido, inclusivé, como quartel militar durante a Guerra da Independência entre Espanha e França. Quando chegou ao trono o rei D. Fernando VII, casado com a infanta portuguesa Maria Isabel de Bragança, o edifício estava perto da ruína. A grande impulsionadora para a criação do Museu do Prado, dedicado às artes, foi precisamente a infanta portuguesa. A ela se deve o êxito do museu. Infelizmente, ela já não viu a sua grande obra concluída porque faleceu antes da inauguração em 1819. 

Embora o bicentenário seja só no próximo ano, hoje foi inaugurada uma exposição especial chamada Um lugar de Memória na qual se pretende mostrar o grande legado do Museu bem como a sua história. As comemorações também vão incluir exposições noutras cidades de Espanha com a intenção de que as obras de arte possam chegar a toda a gente.

Já tive o prazer de estar no Museu do Prado e é, realmente, um lugar especial. Vale a pena voltar mais vezes. E nessa altura ainda não sabia que a sua criação se devia a uma portuguesa. Assim é, ainda, mais especial.

Pessoa. Todo arte es una forma de literatura

Charneca em flor, 07.02.18

FernandoPessoa.png

 

Ontem foi inaugurada a exposição "Pessoa. Todo arte es una forma de literatura" no Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia em Madrid. Os madrilenos e os muitos milhares de visitantes do Museu poderão descobrir Fernando Pessoa, os seus heterónimos, os seus escritos bem como os artistas seus contemporâneos que foram influenciados por, ou influenciaram, Fernando Pessoa como Almada Negreiros ou Amadeu de Souza Cardoso. Uma parte muito importante da vida artística portuguesa das primeiras décadas do Séc. XX "invade" Madrid até 7 de Maio. Fernando Pessoa já é muito apreciado fora de Portugal no entanto não sei se os espanhóis o conhecem muito bem. Aqui está uma excelente oportunidade.

ReinaSofia1-300x225.jpg

 

O Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia é um dos mais importantes museus de arte moderna de Espanha e merece uma visita. Uma das obras mais conhecida presente neste museu é o Guernica de Pablo Picasso. E Madrid é aqui tão perto. Vale a pena dar lá um pulinho.

DE00050_0.jpg

 

 

A Anunciação de Álvaro Pires de Évora

Charneca em flor, 03.02.18

PinturaPortuguesamedievalÁlvaroPiresdeÉvoraAAnun

Álvaro Pires de Évora foi um pintor português do século XV. Nasceu em Évora mas trocou Portugal pela Itália, um dos países europeus mais artísticos de sempre. Muitos consideram-no como um pintor italiano mas ele afirmava-se como português. É o mais antigo pintor português com assinatura reconhecida. Não foi um pintor muito produtivo havendo apenas 30 obras conhecidas. Dessas só existe uma obra num museu nacional já que a maioria está em colecções privadas. Esta semana, uma das suas obras, A Anunciação, foi a leilão na Sotheby's e o Governo Português, com a ajuda do dinheiro que sobrou da campanha para adquirir a obra de Domingos Sequeira, conseguiu comprá-la por 280 mil euros (mais 25% de comissão da leiloeira.). De futuro estará em exposição no Museu Nacional de Arte Antiga na mesma sala onde estão os Paíneis de São Vicente e o retrato de D. João I. Uma vitória para a cultura portuguesa.