Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

23
Dez16

"O jogo do Anjo", Carlos Ruiz Zafon

Charneca em flor

Quase que não conseguia acabar de ler este livro antes de entrar de férias. A urgência em acabar de ler é devida ao facto de o livro ser da biblioteca e estava mesmo a chegar a altura de o devolver. Fiquei com muita vontade de voltar a ler "A sombra do vento" e também com ainda mais vontade de conhecer Barcelona. Não é fácil falar das histórias criadas por Carlos Ruiz Záfon. São tão fantásticas que nem se conseguem descrever sem estragar o efeito surpresa. Para mim, para além das personagens  criadas por ele, os livros são verdadeiros protogonistas. Neste "O jogo do anjo" a história roda à volta dos estranhos problemas de um escritor,  David Martin, da sua relação com os livros, com outras pessoas que amam os livros, com a estranha casa que escolhe para viver. Uma história que vale a pena ser lida.

O cemitério dos livros esquecidos volta a ser visitado:

"Este lugar é um mistério. Um santuário. Todos os livros, todos os volumes que vês à tua frente, têm alma. A alma de quem os escreveu, a alma daqueles que os leram e viveram e sonharam com eles. De cada vez que um livro muda de mãos, de cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu espírito cresce e torna-se mais forte. Neste lugar, os livros de quem já ninguém se lembra, os livros que ficaram perdidos no tempo, vivem para sempre, à espera de chegar às mãos de um novo leitor, de um novo espírito"

Em quantos livros já deixei a minha alma?! 

03
Dez16

Carlos Ruiz Zafón e os livros esquecidos

Charneca em flor

Eu sou um bocado do contra no que diz respeito à "última moda" da literatura. Gosto de ler os livros quando já ninguém se lembra deles (os verdadeiros livros esquecidos). Agora toda a gente fala deste

"O labirinto dos espíritos" é a aguardada conclusão da série de quatro livros, O cemitério dos livros esquecidos, de Carlos Ruiz Zafón. Eu li o primeiro, "A sombra do vento", e adorei. Uma história apaixonante para quem gosta de livros. Agora que todos os fãs procuram este último, eu fui à biblioteca e encontrei este

20161203_092009.jpg

Embora os livros se possam ler em separado porque não têm uma ligação directa, eu prefiro ler pela ordem em que foram publicados. No entanto,embora "O jogo do Anjo" tenha sido o segundo a sair, a história situa-se num tempo anterior ao d' "A sombra do vento". A companhia ideal para este fim-de-semana de chuva.

 

30
Jul12

"A sombra do Vento", Carlos Ruiz Zafon

Charneca em flor

"A Sombra do Vento é um mistério literário passado na Barcelona da primeira metade do século XX, desde os últimos esplendores do Modernismo até às trevas do pós-guerra. Um inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, num crescendo de suspense que se mantém até à última página" segundo diz na sinopse.

 

Uma história maravilhosa de um autor catalão que acabei de descobrir. Um livro com outro livro dentro. Uma história sobre como um livro pode mudar a vida de alguém. A história ideal para quem adora livros como eu, ou devo dizer, para quem é obcecada por livros como eu?!

Grande parte do "cenário" é uma livraria mais propriamente um alfarrabista mas passa também por um sítio especial  O Cemitério dos livros esquecidos.  E é nesse local mágico que tudo começa, quando o Sr. Sempere aí conduz Daniel, a personagem principal desta história:

 

" - Este lugar é um mistério, Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que vês.tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro muda de mãos, cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu espírito cresce e torna-se forte. Há já muitos anos, quando o meu pai me trouxe pela primeira vez aqui, este lugar já era velho. Talvez tão velho como a própria cidade. Ninguém sabe de ciência certa desde quando existe, ou quem o criou. Dir-te-ei o que o meu pai me disse a mim. Quando uma biblioteca desaparece, quando uma livraria fecha as suas portas, quando se perde no esquecimento, os que conhecemos este lugar, os guardiães, asseguramo-nos de que chegue aqui. Neste lugar, os livros que se perderam no tempo, vivem para sempre, esperando chegar um dia às mãos de um novo leitor,de um novo espírito. Na loja nós vendemo-los e compramo-los, mas na realidade os livros não têm dono. Cada livro que aqui vês foi o melhor amigo de alguém. Agora só nos têm a nós, Daniel"

 

Nesse lugar Daniel descobre um livro e descobre um autor misterioso. A partir daí empreende numa busca, muitas vezes perigosa, por esse homem e pela sua história. 

Uma obra para quem ama os livros, sem dúvida nenhuma.

Mais sobre mim

foto do autor

Livro do momento

Ebook do momento

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D