Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Livros de Cabeceira e outras histórias

Todas as formas de cultura são fontes de felicidade!

Sophia, 100 anos

Charneca em flor, 06.11.19

21294287_zfYKN.jpeg

A 6 de Novembro de 1919, nascia aquela que viria a ser uma das maiores poetas da língua portuguesa, Sophia de Mello Breyner Andresen. Há 1 ano que o país celebra o dom desta vida que marcou a nossa cultura comum. As celebrações encerraram-se hoje com um espetáculo no Teatro de São Carlos. O Telejornal da RTP 1 também se associou a esta efeméride terminando  o noticiário com a declamação de um poema por Manuel Alegre e Beatriz Batarda. 

Não era tão bonito se o Telejornal termina-se todos os dias com a suavidade de um poema?

Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento
              
                                             Sophia  de Mello Breyner Andresen
 

Parabéns, Zeca Afonso (2/8/1929-23/02/1987)

Charneca em flor, 02.08.19

 

Se fosse vivo, faria hoje 90 anos. Zeca Afonso foi o autor de algumas das mais belas canções da música portuguesa. É mais conhecido pelo seu activismo, por ser um cantor de intervenção e porque a sua "Grândola, Vila Morena" entrou para a História por ter sido uma das senhas do Movimento das Forças Armadas que levou a cabo a Revolução dos Cravos. Mas nem só de canções de intervenção vive a sua obra que perdura até hoje. É quase impossível ter crescido no pós-25 de Abril e não ter crescido com a sua música. Faz parte do imaginário daqueles que têm, hoje 40/50 anos.

Muitas das suas canções têm letras escritas por ele. Na minha opinião, para além da sua sonoridade típica, os seus poemas são excepcionais. Como este  por exemplo

Dorme meu menino a estrela dàlva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será pra ti

Outra que eu souber na noite escura
Sobre o teu sorriso de encantar
Ouvirás cantando nas alturas
Trovas e cantigas de embalar

Trovas e cantigas muito belas
Afina a garganta meu cantor
Quando a luz se apaga nas janelas
Perde a estrela d'alva o seu fulgor

Perde a estrela d'alva pequenina
Se outra não vier para a render
Dorme quinda à noite é muito menina
Deixa-a vir também adormecer

 

 

Dia da Língua Portuguesa

Charneca em flor, 05.05.19

Acabei de descobrir que a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa +/- ) dedica o dia de hoje, 5 de Maio, à Língua Portuguesa. Como eu sou apaixonada pela nossa língua, embora também goste muito de outras línguas, achei que fazia todo o sentido destacar este dia neste blogue. Para o efeito vou aconselhar a leitura desta crónica, "A Língua Portuguesa de A a Z", de Marco Neves. Já sigo o Marco Neves no seu espaço Certas Palavras onde escreve brilhantes e divertidos textos sobre as particularidades da nossa Língua bem como de outras Línguas com as quais nos cruzamos.

Fernando Namora, 100 anos

Charneca em flor, 15.04.19

Esta 2a feira, dia 15 de Abril, comemorou-se o centenário do nascimento de Fernando Namora, um médico e escritor português. Embora já não seja muito conhecido pelas gerações mais novas, teve muito êxito sendo o autor português mais traduzido do mundo, antes de José Saramago.

O seu género literário estendeu-se a várias áreas como o romance, a poesia, as crónicas e as narrativas. Uma das suas obras mais conhecida é "Retalhos da vida de um médico" onde o autor relata o que lhe ia acontecendo enquanto médico da província. Esses "retalhos" deram origem a uma série televisiva nos anos 80.

Durante a homenagem que lhe foi prestada na Casa-Museu Fernando Namora, o Presidente da República anunciou que o escritor será condecorado a título póstumo com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

 

Dia Internacional do Livro Infantil

Charneca em flor, 02.04.19

Anita-na-Montanha.jpg

Hoje assinala-se o Dia Internacional do Livro Infantil porque Hans Christian Andersen, esse maravilhoso escritor das mais belas histórias para a infância, nasceu a 2 de Abril.

Sempre gostei de livros mesmo quando ainda não sabia ler. Os livros infantis abriram-me portas para o mundo encantado da leitura. Sou eternamente grata aos autores e ilustradores que me aguçaram o gosto pela leitura que perdura até hoje.

Boas leituras.

250x (1).jpeg

 

 

Centenário de Sophia

Charneca em flor, 14.01.19

21294287_zfYKN.jpeg

 

Este ano, Sophia de Mello Breyner Andersson faria 100 anos no dia 6 de Novembro. Por iniciativa da sua filha Maria Andresen de Sousa Tavares, durante todo o ano irão realizar-se inúmeras actividades para celebrar a sua vida e a sua obra. Desde colóquios, exposições, concertos entre outros eventos. O programa pode ser consultado aqui. Uma oportunidade para celebrarmos a literatura portuguesa celebrando a vida de um dos seus nomes maiores.

"No Centenário do seu nascimento, comemorar Sophia é comemorá-la, lembrá-la em comum. E é celebrar essa funda e desassombrada exaltação da vida, essa aguda e universal consciência do mundo de que a sua poesia dá testemunho para sempre.

(...)

Celebrar Sophia no Centenário do nascimento é ouvir a sua voz dizer os poemas por onde passam o mundo e a vontade de o tornar real, nítido e justo como são as palavras em que o disse."

                                Manifesto do Centenário de Sophia

A culpa é do mordomo

Charneca em flor, 15.09.15

 Há 125 anos nascia, em Inglaterra, uma das mais brilhantes escritoras policiais de todos os tempos, Agatha Christie. Os seus livros, que trazia da Biblioteca, proporcionaram-me horas de puro prazer. O suspense que ela conseguia construir mantinha-me presa até à última página. Não tem conta os livros dela que li durante a minha adolescência, penso que todas da célebre Colecção Vampiro.

 

Agatha Christie criou 2 personagens deliciosas, Hercule Poirot e Miss Marple, que protagonizaram a maior parte dos seus romances. Sempre achei que Miss Marple era o alter-ego de Agatha Christie.

Este 125° aniversário tem sido comemorado em Torquay, Devon, Inglaterra. Se estiverem na vizinhança, podem espreitar aqui as actividades que ainda vão a tempo de aproveitar.

Que saudades de ler Agatha Christie. Se calhar, vou aproveitar as Colecções Vampiro que andam à venda pelo OLX.

 

 

"Thank God for my good life, and for all the love that has been given to me.” 

 

Agatha Christie, An Autobiography

 

 

 

 

Manifesto 2014 – 800 anos da Língua Portuguesa

Charneca em flor, 27.06.14

 

 

 

Hoje assinala-se os 800 anos da Língua Portuguesa tendo como base o mais antigo documento régio escrito em português, o testamento do terceiro rei de Portugal, Afonso II. Para celebrar esta data foi lançado o "Manifesto 2014 – 800 anos da Língua Portuguesa", iniciativa que junta individualidades dos países da Lusofonia como por exemplo, deputados portgueses, como o Ribeiro e Castro e a Inês de Medeiros, o Presidente da epública de Cabo Verde, um professor de Língua Portuguesa numa universidade brasileira, diplomatas de alguns dos países que falam português, músicos como o Rui Reininho, escritores como o Pepetela e o Jacinto Lucas Pires, enfim, pessoas que reconhecem a importância da nossa língua. 

 

"A língua que falamos não é apenas comunicação ou forma de fazer um negócio. Também é. Mas é muito mais.

É uma forma de sentir e de lembrar; um registo, arca de muitas memórias; um modo de pensar, uma maneira de ser – e de dizer. É espaço de cultura, mar de muitas culturas, um traço de união, uma ligação. É passado e é futuro; é história. É poesia e discurso, sussurro e murmúrios, segredos, gritaria, declamação, conversa, bate-papo, discussão e debate, palestra, comércio, conto e romance, imagem, filosofia, ensaio, ciência, oração, música e canção, até silêncio. É um abraço. É raiz e é caminho. É horizonte, passado e destino."

 

Não tive oportunidade de subscrever fisicamente este manifesto quando tal foi possível na Feira do Livro mas deixo aqui a minha subscrição virtual. O Manifesto completo pode ser lido aqui

 

Esta tarde, no Padrão dos Descobrimentos, o Manifesto vai ser apresentado oficialmente. Também haverá a apresentação de poemas dos vários países de Língua Portuguesa, espectáculos musicais e lançamento de 800 balões. Para além disso, decorrerão mais iniciativas para celebrar esta efeméride até 10 de Junho de 2015. 

 

Muitos parabéns aos promotores deste Manifesto, tudo o que se possa fazer pela Língua Portuguesa é de valorizar. E muitos parabéns à Língua Portuguesa.